quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Chimuchurasa - 15 anos de Fundação do Ryukyu Koku Matsuri Daiko Brasil e Argentina - 19/Jan/2014


Estou aqui no treino do Ryukyu Koku Matsuri Daiko acompanhando a namorada e me inspirando para escrever esse post. No último fim de semana, tive a honra de representar o Minyo Hozonkai em um dos eventos mais importantes do Matsuri Daiko: o aniversário de 15 anos das filiais Brasil e Argentina.


Acompanhando minha namorada, presenciei a entrega de todos os membros. Foram meses se preparando, sendo que nos últimos, eram fins de semana e até dias de semanas alocados para os treinos. Ou seja, muita vontade e dedicação.

Normalmente, não costumo ser uma pessoa emotiva, mas em algumas ocasiões como no evento deste fim de semana, devo admitir que alguns sentimentos emergiram. E assim foi com o evento Chimuchurasa. Chimuchurasa é uma palavra do dialeto de Okinawa que ao pé da letra significa “beleza do sentimento”.

Rir, chorar, alegrar, amar, observar, perder, ganhar, viver, sonhar. O Chimuchurasá é uma apreciação dessas emoções, e nós, como pessoas, somos capazes de sentir através de nossas vivências e percepções que temos do mundo e que, com uma única expressão, conseguimos notar o seu valioso significado. E posso lhes garantir que foi o que senti.



Uma parte bastante emocionante do show foi ver o Begin parabenizar os 15 anos e tocar Sanshin no Hana a capella para todos que estavam assistindo, por meio de vídeo. E logo depois os membros tocarem Sanshin no Hana passando as com fotos do Urasaki sensei, fundador do grupo (in memorium). Vi muitas lágrimas rolarem e mais do que isso, ver dos alunos o apreço, respeito e saudades que sentem pelo sensei. Foi como se ele estivesse ali. E no final de tudo, um vídeo da época que ele estava vivo ainda (foto abaixo) surpreendeu e emocionou mais ainda os presentes.

Lembro de ter conhecido o sensei em uma apresentação há muitos anos atrás. Queria eu ter voltado ali e conversado e parabenizado Urasaki sensei. Não só pelo grupo que criou, mas por ter sido pioneiro, ter vindo a esse plano para fazer a diferença na vida de tantas pessoas. Por meio de uma iniciativa dele, muitas pessoas conheceram o sentimento do Chimuchurasa.




E ali, pensando nisso tudo, na palavra Chimuchurasá, cheguei à conclusão do porquê manter essa minha grande paixão, a música. É uma mistura de sentimentos que é muito difícil descrever.

É o cansaço da preparação antes dos shows, o frio na barriga, o medo. A hora de subir no palco e soar as primeiras notas e de lá de cima do palco ver seus amigos e parentes (e saber que em algum lugar ali, sentir que os que já foram estão ali olhando também!). O nervosismo passa e como num passe de mágica, a música acaba e logo depois as palmas. E mais que isso, poder saber que conseguiu transmitir alguma coisa para o público, dar continuidade à cultura e ensinamentos dos seus antepassados e mestres. Nada mais valoroso!

E mais que isso, estar lado a lado com seus mestres e amigos. Nesse evento particular, ainda pude dividir o palco com a pessoa que mais amo! Com todos eles vêm as risadas, esforço e incentivos nos bastidores. Durante a apresentação os entreolhares de incentivo e alegria. É um sentimento que não tem como ser explicado e espero viver isso até o fim da minha simples vida!








Do fundo do coração, registro aqui meus parabéns ao RKMD, organizadores e participantes do evento. Foi muito bonito, vivo e emocionante! Fico admirado em ver o seguimento e prosseguimento de uma semente que foi plantada 15 anos atrás por uma pessoa que tinha um sonho, e hoje, apesar de não estar no meio de nós, mantém aceso a chama desse grupo.

Agradecimentos ao meu amigo Ricardo Senaha e Daniel Ramos pelas fotos cedidas.

Um comentário:

  1. Nossa, Álvaro, imagino que tenha sido realmente muito emocionante, porque só de ler sua descrição meus olhos já se encheram de lágrimas...
    Parabéns a todos que tornaram esse evento possível e que certamente emocionaram muitos. Espero um dia poder conferir pessoalmente ^_^

    ResponderExcluir