quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Curiosidades - Japão e Portugal

Prezados leitores, gostaria de desejar um Feliz 2013 com muita saúde e prosperidade. Bom, gostaria de começar esse ano escrevendo sobre um tópico bem curioso, que é a influência de Portugal no Japão. Todos conhecem os portugueses pela colonização do Brasil, conforme aprendemos na escola. Acabei de ler um livro ótimo chamado 1808 que retrata a vinda da família real ao Brasil e como tudo isso mudou o rumo do nosso país influenciando nós nos dias de hoje e me inspirei para buscar algumas coisas e fazer este post.

Talvez nem todos saibam, mas durante o período conhecido "Período das Grandes Navegações" os portugueses navegaram em todos os 7 mares e chegaram em lugares inimagináveis, e um desses lugares foi o Japão. Em 1543 (bem perto da data do descobrimento do Brasil), uma caravela portuguesa liderados por Antônio de Mota, Antônio Peixoto e Fernão Mendes Pinto aportou na ilha de Tanegashima (província de Kagoshima) e foram os primeiros ocidentais a pisar em solo nipônico. 


Curiosidade: até os tempos modernos, as armas de fogo eram conhecidas no Japão como "Tanegashima" pois foi nessa localidade que os japoneses conheceram a primeira arma de fogo trazida pelos portugueses.
Moeda portuguesa (escudo) em comemoração à chegada no Japão

Os portugueses eram conhecidos como "Nanman", os bárbaros do sul. Os japoneses da época retrataram os portugueses como um povo que demonstrava falta de etiqueta, higiene e educação. Um livro da época possui o seguinte comentário: "Eles comem com as mãos ao invés de talheres como nós usamos. Além disso, demonstram os sentimentos sem nenhum controle. Também não conseguem entender o significado de caracteres escritos".

De acordo com alguns livros, um fato muito interessante é que o Japão era visto pelos europeus como uma nação feudal muito desenvolvida, e em alguns pontos superior. Em termos populacionais, o Japão era habitado por aproximadamente 26 milhões de habitantes, enquanto a França e o Reino Unido tinham 16 e 5 milhões de habitantes, respectivamente. As "universidades" budistas eram maiores que qualquer instituição ocidental de ensino e as cidades eram mais urbanizadas que as européias. 

Na época, o daimyo Oda Nobunaga estava no poder e incentivou a troca de culturas e comércio entre os japoneses e os navegadores europeus, que foi interrompido por volta de 1600 por Tokugawa Ieyasu. Tokugawa seguiu a vontade dos senhores feudais que se mostravam hostis à influência estrangeira no país e fechou os portos às nações européias, com exceção da Holanda (conhecidos como "komo" - 紅毛, ou seja, cabelos vermelhos), que foi confinada a fazer comércio por meio de uma pequena ilha chamada Deshima, em Nagasaki. Portanto, a Holanda era a única conexão do Japão com o mundo ocidental e por meio dessa, adquiriu conhecimentos e tecnologia do mundo europeu.

Portugueses retratados em solo nipônico


RELIGIÃO

Na parte religiosa, os portugueses foram responsáveis pela introdução do cristianismo. Um dos mais famosos missionários na Ásia foi Francisco Xavier. Em 1549, foi o primeiro missionário a chegar no Japão, convertendo cerca de 300 mil japoneses. 

O ponto final de Tokugawa ao cristianismo ocorreu em 1614. Como esperado, senhores feudais japoneses viram a religião como ameaça aos seus poderes resultando em inúmeros conflitos, como perseguição e a crucificação de jesuítas e seguidores da religião cristã até à sua proibição no país. A repressão ao cristianismo foi violenta no ano de 1616, onde 2.000 cristãos foram torturados e mortos. A última reação cristã no Japão ocorreu em 1637 com a Rebelião de Shimabara.

Curiosidade: o primeiro japonês convertido ao cristianismo se chamava Anjiro, e após seu batismo, foi chamado de "Paulo de Santa Fé".

Estátua do jesuíta Francisco Xavier (centro) com seus discípulos Anjiro (esquerda) e Bernardo no parque de Xavier, em Kagoshima


COMÉRCIO, ALIMENTAÇÃO E LÍNGUA

Os europeus em geral comercializaram diversos artefatos inexistentes no Japão até aquele momento como o tabaco, armas de fogo e açúcar refinado. Pasmem, mas um dos pratos mais conhecidos da cultura japonesa, o Tempura, foi introduzido pelos portugueses! ("Tempura" deriva do português tempero).

Um fato curioso é que os portugueses foram os primeiros que criaram um dicionário japonês para a língua ocidental. Publicado em Nagasaki no ano de 1603 pelo jesuíta João Rodrigues, ele foi chamado de Nippo Jisho (日葡辞書 - dicionário Japonês-Português) e continha 32.000 palavras. Abaixo, listei algumas palavras portuguesas que são utilizadas até hoje no Japão: 

Bateren (伴天連) - padre católico
Botan (ボタン) - botão
Igirisu (イギリス) - inglês
Castela (カステラ) - bolo de Castella 
Kompeito (金米糖) - confeito
Pan (パン) - pão
Tabaco (タバコ) - tabaco, cigarro
Shabon (シャボン) - sabão







Um comentário:

  1. Alvaro, seu post me fez lembrar um livro que li recentemente do José Yamashiro que trata desse tema. É muito interessante toda a obra do Yamashiro-san também! Altamente recomendável procurar nos sebos, nas livrarias, nos kaikans! Segue a dica:
    http://www.skoob.com.br/livro/32298-choque-luso-no-japao-dos-seculos-xvi-e-x
    http://www.skoob.com.br/livro/lista/Jos%E9+Yamashiro/tipo:autor/
    Beijão!
    Valdete Shizuko

    ResponderExcluir