segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Show - Begin Brasil - 12/Nov/2011

Hoje vou comentar sobre um show que emocionou e alegrou a todos que foram, o tão esperado show do Begin (ビギン) no Brasil. A história começa com a batalha para conseguir os convites. Há alguns meses atrás, fiquei sabendo em um dos treinos que o Begin viria ao Brasil, mas ainda não era nada certo. Como acontece com todas as bandas japonesas famosas, acreditei que essa possibilidade era quase zero, pois o que acontece normalmente é muita especulação e pouquíssimo resultado.




E eis que há algumas semanas atrás, vejo na Liberdade, inclusive no Hombu do Kaikan Okinawa, vários pôsteres do show do Begin. Muita gente comentando e no dia de distribuição dos convites, uma fila imensa na frente do Café Koohi, na Liberdade, um dos pontos de distribuição. O horário de início de distribuição era por volta das 10:30 da manhã, mas cheguei 10:35 e eis a surpresa, uma fila quilométrica. Passaram-se alguns minutos, mas a fila pouco andou, e para maior surpresa, a moça da organização subiu do café para informar que os ingressos esgotaram. Na hora bateu uma certa frustração, mas incrível que na hora todos tiveram a mesma idéias, correr para o Kaikan Okinawa ali pertinho para ver se tinha ingressos. Cerca de uns 70 japoneses que estavam na fila saíram correndo ali, como numa maratona para chegar no Kaikan.

Corri bastante e fui um dos primeiros a chegar, e peguei 2 dentre os 10 últimos ingressos que tinham disponíveis! Que alívio!!!! Peguei um pôster também, que agora está pregado no mural ali no meu quarto.

Passado todo esse estresse, era só esperar pelo show. E em um desses dias, estava eu no carro ouvindo Begin saindo de casa e vejo 3 rapazes na rua. Um mais gordinho com uma boina, um com um chapéu de palha e outro de óculos. Como estavam longe, olhei e até pensei ... nossa, parece o Begin. Mas deixei. O semáforo fechou e parado ali ouvindo as músicas, os 3 se aproximaram e olharam para dentro do carro, talvez surpresos com o que estava escutando. E não é que eram os próprios passeando na Liberdade? Eles simpaticamente vieram, me cumprimentaram e conversaram bem rapidamente. Foi muito emocionante!

No mesmo dia fiquei sabendo que estavam hospedados no hotel que fica ao lado de casa. E passando em um outro dia para pegar um scanner que deixei na clínica da minha mãe, me deparo novamente com eles, só que na frente do hotel. E com isso consegui uma foto deles!


Enfim sábado, dia da apresentação (veja a playlist no post http://etenraku.blogspot.com/2011/11/show-begin-brasil-playlist.html). Fomos eu e minha namorada até o metrô Tietê nos encontrar com o pessoal do Hozonkai (Bruna, Miyuki e mais um monte de gente) para irmos até o Anhembi. Fomos a pé e levou alguns minutinhos embaixo do sol, mas nenhum problema. Entramos e já havia ali várias pessoas esperando o show - e isso que faltavam ainda umas 3 horas para começar. Pegamos um lugar até que bom, do qual dava para enxergar todo o palco e um telão logo em frente. Encontrei algumas pessoas que não via há muito tempo e fiquei conversando até a hora do show.

Às 15 horas houve uma abertura com o pessoal do Requios e do Ryukyu Koku Matsuri Daiko e pontualmente às 16 horas, o show do Begin que passou por inúmeros clássicos como Shimanchu no Takara, Nada Sou Sou e Kariyushi no Yoru, animando os aproximadamente 7000 pessoas que lotaram o Anhembi. Dava para ver a animação e empolgação da platéia com cada clássico, e a vibração e a presença de palco do grupo. Para mim, o ponto mais emocionante foi a música Mukashi Kaisha Ima Kaisha (昔美しゃ 今美しゃ) que o vocalista Eisho Higa (比嘉栄) tocou com um sanshin histórico (clique aqui para ver no Youtube), que veio no primeiro navio com imigrantes japoneses em 1908, no Kasato Maru. O grupo gentilmente chamou ao palco o dono do sanshin, o senhor Seishin Miyashiro que herdou o instrumento do pai Ihashi Miyashiro, emprestando o sanshin para esta música ser tocada ali, diante do público. A letra e a melodia emocionaram todo o público, dentre jovens e idosos. Nem eu consegui conter a emoção.

Diga-se de passagem que primeiramente, o grupo veio ao Brasil somente para estudar a colônia Okinawana no Brasil, mas acabaram por fazer também esse belíssimo show.

Então depois de quase 2 horas de show e muita energia do grupo, o show foi finalizado com 3 músicas extras, dentre eles Sanshin no Hana (que eu ouvi pela primeira vez no filme Nada Sou Sou, vale a pena ver!).


Sabe o que senti? Nem o público e muito menos eles, queriam sair dali. Como disse o vocalista, o sentimento que ele teve quando veio ao Brasil foi a de que eles estavam voltando para casa. A receptividade e a alegria do público brasileiro  os emocionou bastante. Durante a apresentação fiquei seriamente pensando como é estranho eu não ser Uchina (descendente de Okinawanos) mas gostar do sanshin, das músicas e dessa receptividade e simpatia desse povo, tão diferente do resto do arquipélago.


Segundo o vocalista Eisho Higa, a apresentação no Brasil “foi uma das maiores e mais emocionantes da carreira do Begin”. “Nossa passagem foi totalmente surpreendente. Víamos como era o Brasil pela internet, sabíamos que existia uma grande comunidade de japoneses no Brasil, mas não esperávamos um show para tantas pessoas. Pessoalmente, saio daqui com uma sensação que não sei descrever, muito boa e emocionante”, destacou ele, lembrando que a banda deve voltar ao País nos próximos anos. “Quero, novamente, sentir esse calor humano e a receptividade dos brasileiros.”

Eu me senti ali Uchina também, e fico imaginando o orgulho que devem sentir. É um povo de características singulares. E o show do Begin com certeza serviu para manter mais vivo o orgulho do espírito Uchinanchu. Gostaria deixar meus parabéns ao povo de Okinawa e a todos os seus descendentes, e dizer para manter sempre vivo esse espírito, que é muito bonito e raro de se encontrar. Espero que o Begin venha mais vezes para cá!!! E finalizo dizendo que foi um dos melhores shows em que fui, e que valeu muito mesmo a pena ter ido. Esse show realmente tocou no fundo da alma e me emocionou muito.


Foto do site do Made in Japan, tiradas por  Ricardo Miyajima e Henrique Minatogawa

2 comentários:

  1. Esse show foi legal mesmo!!!
    Valeu a pena ter viajado mais de 500km prá ver e ouvir o Begin.
    E eu tb me emocionei muito com a música "Mukashi Kaisha Ima Kaisha"... Não pude deixar de lembrar de minha querida mãezinha.

    ResponderExcluir
  2. A apresentação de Mukashi Kaisha Ima Kaisha com certeza foi a mais emocionante do show! E Shimanchu nu takara foi o ápice da alegria do público~~ Dava pra perceber que todos estavam ansiosos para ouvir e cantar essa música (que, como um amigo me disse certa vez, representa o espírito uchinanchu)! Foi um grande privilégio estar lá, ainda mais com a presença de tantos amigos e conhecidos espalhados no local, e amigos se apresentando na abertura e no encerramento do evento!
    E como disse esse mesmo amigo, tão importante quanto ser descendente, é o que sentimos... portanto, esteja a vontade para se considerar um uchinachu de coração! rsrs
    Foi um show para guardar nas lembranças pra sempre...e contar pras gerações futuras com um mega orgulho de ter presenciado! kkkk

    E parabéns pelo post!

    ResponderExcluir