quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Koto (箏) - História

Como descrito no post anterior (Koto – Introdução), o Koto teve como ancestral o guzheng, instrumento chinês e foi introduzido no Japão a partir da China (Dinastia T’ang) durante os séculos 6 e 7 (era do imperador Kinmei). Nesta época, embaixadores japoneses foram enviados ao país para um intercâmbio cultural e político. 

Quando foi introduzido no Japão, durante o período Nara, o instrumento tinha 12 cordas, passando depois para o koto que conhecemos de 13 cordas. Data desta época a partitura mais antiga para o koto, o Yuran-fu, que se encontra guardada no Templo Shinhoin.

O instrumento está presente na literatura japonesa desde a antiguidade. Nos Contos de Genji (Genji Monogatari de Murasaki Shikibu 978-1016) o Koto aparece em diversas passagens. O seu personagem principal, o príncipe Hikaru Genji, quando exilado em Akashi tocava e mantinha diálogos musicais com Lady Akashi. Em outra obra, Contos de Heike (Heike Monogatari), a amada do imperador, Kogo, foi descoberta em seu esconderijo pelo som de seu koto.



Durante o período Heian (794-1185), o koto era tocado como instrumento solo na corte imperial, ou seja, foi cultivada apenas pela nobreza. Posteriormente, foi ocupação oficial de pessoas cegas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário