sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Koto (箏) – História - Yatsuhashi Kengyo 八橋 検校

No século XVII (Era Edo), Yatsuhashi Kengyo 八橋 検校 (Kyoto, 1614 - 1685) fundou um estilo independente, o Yatsuhashi Ryu (o Kengyo presente no seu nome é um título dado aos músicos cegos mais graduados). Inicialmente, Yatsuhashi Kengyo era praticante do shamisen, mas passou a aprender o koto com um músico da coorte.

Yatsuhashi Kengyo


Em 1664, foi impresso um livro escrito por Sosan Nakamura, Shichiku Shoshin Shu, onde constam as partituras das principais músicas de Yatsuhashi Kengyo, Rokudan no Shirabe, Hachidan no Shirabe e Midare, executadas até hoje. Isso representou uma ruptura e um marco na história do koto pois esse grande mestre (cego, diga-se de passagem) iniciou o movimento para introdução de músicas solo e aperfeiçoou a parte técnica e vocal das músicas que são tocadas com o koto, sendo Yatsuhashi Kengyo conhecido como o “pai do koto moderno”. Abaixo, vídeos de performances das músicas Midare (みだれ) e Rokudan no Shirabe (六段の調).





Yatsuhashi criou as afinações consideradas atualmente como as mais tradicionais e utilizadas para o koto, o Hira (afinação pentatônica) e o Kumoi, inovando as escalas utilizadas no Gagaku e nas peças de Okinawa, com isso adaptando o instrumento para que as peças fossem tocadas juntamente com o shamisen. Neste mesmo século, houve a popularização do instrumento como acompanhamento de dança e como conjunto formado juntamente com Shakuhachi e Sangen.

Nenhum comentário:

Postar um comentário