Evento – Minyo (Canções Folclóricas Tradicionais Japonesas) – 02/10/2011

Ontem tive a oportunidade de ver no mesmo palco, nomes famosíssimos do Minyo de Okinawa e do Japão. Para quem acha que minyou é coisa de Ojitchan e Obatchan, se tivesse visto o que eu vi, realmente iriam mudar totalmente de opinião. Mesmo tocando da forma mais clássica e tradicional possível, sem virtuosismos e instrumentos ocidentais, o que eu vi foi de impressionar a qualquer um.


Naeko Daiku, Shigeri Kitsu, Katsuaki Sawada, Tetsuhiro Daiku e Katsuharu Sawada


O evento foi realizado no espaço Cachuera, com apoio da Fundação Japão e Consulado do Japão. Queria ter participado do workshop que eles realizaram em Santos, mas por problemas de horário e local, não pude comparecer. Mas me falaram muito bem!

Domingo, apesar do dia frio e chuvoso, o público lotou o pequeno auditório de 120 lugares. Uma pena que havia poucos brasileiros. O espetáculo começou com a dupla Tsuru-kame, foramado por Shigeri Kitsu e Katsuaki Sawada. Posso dizer que nunca vi ao vivo um grande mestre de Tsugaru Shamisen como o Sawada sensei e fiquei com a boca entreaberta (inclusive já vi ele na TV tocando com grandes cantores do enka como Nagayama Yoko e Hosokawa Takashi). Senti ali a serenidade de um grande mestre tocando, mas o som do shamisen mais vivo do que nunca. Diga-se de passagem, que o shamisen do Sawada sensei e seu pupilo, Katsuharu Sawada eram do mais alto nível. Um bom shamisen mostra o timbre de todas as notas e toques, e nas mãos de um iniciante, torna-se um desastre, mas nas mãos de um grande tocador, torna-se um parceiro.

O que dizer então da voz de Shigeri Kitsu? Uma voz afinadíssima, leve e límpida. Nunca vi um Niikata Bushi ser cantado em tão alto nível.


Logo em seguida, entraram no palco Tetsuhiro Daiku e sua esposa Naeko Daiku. Foi simplesmente maravihoso. E ainda começaram com a música que mais gosto de Okinawa, Asadoya-yunta. Daiku cantando e tocando sanshin e sua esposa no koto. Nunca havia visto o koto tocado com o sanshin para músicas folclóricas, mas ficou muito bonito! Vou até procurar partituras.


Apesar de ser considerado Tesouro Cultural Intangível de Okinawa, Daiku sensei mostrou uma simpatia e humildade enorme, típico dos uchinanchus! Tentou falar várias frases em português, cantou minyos com frases improvisadas falando da felicidade de estar em SP, assim como suas belezas. Sua esposa além de cantar maravilhosamente, dançou também! E o mais bonito foi o ver falando da esposa e demonstrando ficar feliz por estar dividindo o palco com ela.

No final, todos cantaram Saitaro Bushi, um minyo da região em que foi devastada pelo Tsunami, em homenagem às suas vítimas, e logo em seguida uma música bem alegre de Okinawa onde todos dançaram juntos com a platéia.


No final, ainda pude tirar fotos com alguns deles e conversar com o Tetsuhiro Daiku e sua esposa. Inclusive ela ficou muito feliz por eu tocar koto, que é um pouco difícil entre homens e tocar sanshin também (ah, tirei uma foto do koto dela, e realmente o koto de Okinawa é diferente do japonês). Tamanha a simpatia deles, que presentearam o pessoal do minyo daqui do Brasil com CDs e partituras.

Foi realmente perfeito e um grande incentivo para continuar a propagar essa arte aqui no Brasil! Espero que eles possam voltar um dia!!!!







Comentários

  1. Olá, Alvaro! Fui no show de minyo também e pelo post da Fundação Japão cheguei no seu blog. Fiz um link no meu FB, pois gostei da sua descrição do espetáculo! Foi memorável mesmo! A minha sensei falou com Tetsuhiro-san tb (ela até aparece numa das suas fotos). Infelizmente eu não pude acompanhá-la na conversa nos bastidores. Adoraria mostrar a eles o quanto gostamos do show, mas fico muito feliz em encontrar alguém que posta coisas bacanas como música de qualidade, de respeito, de tradição! Abçs!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário