quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Tanabata Matsuri (七夕祭り)

Como morador do bairro da Liberdade, não posso deixar de comentar do Festival mais tradicional do bairro, o Tanabata. Eu pensei em postar sobre o festival há um tempo e só agora arranjei um tempinho. Frequento o festival desde que nasci, e lembro que quando era pequeno (uns 10 anos), participava tocando shamisen com a turma de alunos do Yonemoto sensei e cantando alguns minyos.

Houve um ano que até ajudamos a fazer os enfeites que ficam pendurados na rua e deu um super trabalho! Na época do colégio, cheguei a ajudar a preparar a rua na sexta a noite com alguns amigos (Luiz, Makoto, Samuel, Kazuo) e depois de madrugada, comíamos uma feijoada oferecida pelo Miyagui Kenjinkai e a ACAL. Esse ano fui fazer uns pedidos junto com o Elcio, Lili e a Deh. Como de costume, estava um super frio!!!!


Além dos enfeites e dos pedidos realizados, a festividade conta com apresentações de música, taiko e danças. Vale muito a pena visitar!  


Escrevi aqui embaixo curiosidades do festival e por último o que o Tanabata significa para o povo Okinawano, que é bem diferente do costume do povo não-okinawano, que retirei do site Okinawa.


HISTÓRIA
Há cerca de 4000 anos, as estrelas Veja e Altair foram a fonte de inspiração para o surgimento de uma história na China. Uma princesa chamada Orihime (織姫) e seu amado, o pastor Kengyu (牽牛), assim conhecido pelos japoneses, ao se conhecerem dedicaram-se apenas às suas paixões, esquecendo-se completamente das suas obrigações. Por esse motivo, foram transformados em duas estrelas e separados pela Via Láctea, mas foi permitido a ambos um encontro anual, na sétima noite do sétimo mês do ano. Ansioso por este dia, eles passaram a trabalhar com mais afinco no trabalho do que anteriormente.

Baseado nessa lenda surgiu a festividade discutida nesse tópico.

A festa foi introduzida no Japão há aproximadamente 1.300 anos na cidade de Sendai. Em São Paulo, a festividade chegou em 1979 a partir dos esforços do então presidente da associação de Miyagui, o Sr. Oohashi, que foi ao Japão especialmente para pesquisar sobre a festividade. 

No Japão, a festividade ganhou popularidade em 1946, com o objetivo de incentivar o povo japonês a ter forças para reconstruir o País depois da guerra. Tanto que o imperador visitou a festividade em 1947 e o número de bambus erguidos no festival subiu de 52 para 5.000.


CRENÇA
Nessa festividade, além dos enfeites, as pessoas escrevem pedidos em uns papéis escritos chamados Tanzaku e penduram em ramos de bambus. Segundo a crença, os pedidos feitos do fundo do coração aos deuses serão atendidos. Para isso, no final do dia, os papéis são recolhidos e queimados, acreditando-se que as preces dessa forma cheguem aos deuses.



TANABATA EM OKINAWA - O PRENÚNCIO DA APROXIMAÇÃO DOS FINADOS
A forte relação com a ancestralidade e com as coisas espirituais são as maiores características do povo okinawano. Acredita-se que os espíritos dos mortos vêm ao mundo dos vivos para "fazer uma visita", somente uma vez ao ano, no "obon".

Em Okinawa, o finados, ou "obon", é comemorado entre os dias, 13, 14 e 15 de julho, sete dias depois do Tanabata. Dessa forma, este festival serve como preparativo e prenúncio para o "Obon". É uma espécie de "convite" aos espíritos dos familiares falecidos para a celebração do Obon, que será realizado uma semana depois.

Para os okinawanos, o sétimo dia do sétimo mês do calendário lunar, o Tanabata, é considerado um dia "neutro". Esse dia é aproveitando para limpeza de túmulos familiares, realização da exumação, mudança de butsudan, etc, sem levar em consideração o ano de nascimento de qualquer membro da família.

Por exemplo, este ano, 2003, é o ano do carneiro no horóscopo chinês. Assim, se na família há algum membro do signo de "carneiro", não é recomendável que, durante o ano todo, exceto no dia do Tanabata, se mexa nas coisas espirituais, principalmente na exumação e mudança de butsudan. Nesta situação, para a realização dessas tarefas, é de costume aguardar um ano mais oportuno.

5 comentários:

  1. この日に私の初七夕祭りだったわよ~楽しかった!^^来年も行こう!!!O/ブログにおめでとうございます!

    ResponderExcluir
  2. Olá Álvaro!

    Muito bom seu blog. Eu gosto bastante de cultura japonesa e achei muito interessante. Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Oi Mauro!
    Muito obrigado pelo comentário e por visitar meu blog!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Oi Álvaro, achei muito interessante o seu post sobre o Tanabata.
    Meu nome é Leticia Simões e sou fotógrafa, estou com um projeto de documentar o Tanabata na Liberdade já há 2 anos.
    E eu gostaria muito de conseguir registrar a parte de produção e organização do festival.
    Teria como vc me ajudar nesta tarefa?
    Gostaria de saber com quem entro em contato.

    Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  5. Oi Letícia,
    Tudo bem? Para entrar em contato com a produção, entre nesse site. http://www.tanabata.com.br/conteudo/festival.php

    Na parte de contatos, tem o endereço e telefone da Associação do qual comentei no post. Eles são responsáveis por toda a organização e podem te informar melhor.
    Espero ter ajudado.

    Alvaro

    ResponderExcluir